População residente: 2155

Faixas etárias:
0 - 14 anos: 383
15 - 24 anos: 205
25 - 64 anos: 1256
65 anos ou mais: 311
Segundo os últimos Sensos 2011

Novos Residentes: 723

Residentes 2001: 1432
Residentes 2011: 2155
Taxa de variação: 50.5%
Segundo os últimos Sensos 2011

Densidade populacional: 258,7

Habitantes por quilómetro quadrado

Alojamentos familiares: 1658

Número de edifícios: 1392

Fórum Territorial

Pontos fortes:

  • Localização geográfica
  • Rede de vizinhança
  • Solidariedade
  • Poucas famílias problemáticas
  • Segurança
  • Características da escola

Oportunidades:

  • Novos residentes predispostos para o
    desenvolvimento da freguesia
  • Recursos naturais (rio; praia) como atração
    turística
  • Proximidade da Ericeira
  • Aproveitamento do antigo edifício escolar e de
    recursos naturais (parque) para dinamização e
    promoção de intergeracionalidade
  • Introdução de uma nova dinâmica na relação
    entre a Paróquia e a comunidade
  • Trilhos para promover atividade física

Pontos fracos:

  • Reduzida oferta de transportes públicos 
  • Associativismo pouco dinâmico e
    reencaminhamento para respostas sociais
    fora da Freguesia
  • População envelhecida isolada

Ameaças:

  • Localização (proximidade da Ericeira e Mafra)

Da discussão e dinâmica gerada pelos interlocutores presentes neste fórum apurou-se o seguinte: A localização geográfica da freguesia é vista, simultaneamente, de forma positiva e negativa. Se por um lado é vantajosa a proximidade a Mafra e à Ericeira, por outro lado são “esbatidos” os seus limites com as duas vilas, nomeadamente no que diz respeito aos seus pontos de interesse e atratividade, nomeadamente dos Fortes (muitas vezes atribuídos a Mafra) e de praias como a Foz do Lizandro (muitas vezes atribuídas à Ericeira). 

Outro aspeto que sobressaiu na discussão foi a inexistência do sentimento de identidade e espírito participativo comunitário, evidenciada na falta de envolvimento nas atividades desenvolvidas, sobretudo pelos naturais. Contrariamente, são as famílias recentes na região as que adotam um papel mais ativo na comunidade. 

Na freguesia da Carvoeira não existem Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), sendo as situações de eventual carência encaminhadas para as instituições da freguesia da Ericeira. 

A falta de uma rede de transportes intramunicipal foi apontada como um fator negativo e limitador à população da Carvoeira. 

O reconhecimento por parte da Junta de Freguesia dos principais pontos fracos identificados tem justificado o esforço pela integração e envolvimento das pessoas nas atividades, nomeadamente através da aposta na criação de um Centro Intergeracional. 

A escola tem assumido um papel importante na dinamização de atividades com recurso às potencialidades da freguesia, nomeadamente do Rio Lizandro.